O que você está procurando?

Digite abaixo o que você está buscando que iremos lhe direcionar da melhor forma possível para um de nossos produtos, servições ou informações.

Quem somos

Somos uma cooperativa de crédito de livre admissão. Oferecemos aos associados um amplo portfólio de produtos e serviços financeiros para pessoas físicas e jurídicas.

  • Fundada em 14 de setembro de 1983
  • Sede: Bebedouro, SP
  • 58 filiais nos estados de São Paulo e Minas Gerais (Triângulo Mineiro)
  • 80 mil cooperados
  • Rating A3 – nota máxima em risco de crédito

Indicadores econômico-financeiros (31 de dezembro de 2016):

  • Ativos totais: R$ 4,7 bilhões
  • Patrimônio líquido: R$ 1,2 bilhão
  • Operações de crédito: R$ 2,6 bilhões
  • Depósitos à vista, a prazo e LCA: R$ 2,4 bilhões

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

    • Raul Huss de Almeida – Presidente
    • Marcos Lourenço Santin – Vice-presidente
    • Siguetoci Matusita – Vogal
    • Ivan Chiara Bertolami – Vogal
    • João Roberto Gasperini – Vogal
    • Maria Tereza de Souza Lima Uchôa – Vogal
    • Silvio de Souza Gagliardi – Vogal

CONSELHO FISCAL

    • Antonio Luiz Sant ´Anna – Efetivo
    • Fernando Moura Botti – Efetivo
    • Marcos Antonio Mutton Jr. – Efetivo
    • Carlos Eduardo Prudente Correa Jr. – Suplente
    • Charles Alecsander Teixeira- Suplente
    • Osmar Nunes Ferraz – Suplente

DIRETORIA EXECUTIVA

    • Siguetoci Matusita – Diretor-presidente executivo
    • Adriano Avanço – Diretor administrativo
    • Juarez Mendes dos Reis – Diretor de Riscos e Compliance
    • Luiz Cláudio Avi – Diretor de Operações de Crédito
    • Marcelo Antônio Soares – Diretor Comercial
    • Marcelo Martins – Diretor de Tecnologia
    • Sérgio Marton – Diretor financeiro

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

  • Raul Huss de Almeida – Presidente
  • Marcos Lourenço Santin – Vice-presidente
  • Siguetoci Matusita – Vogal
  • Ivan Chiara Bertolami – Vogal
  • João Roberto Gasperini – Vogal
  • Maria Tereza de Souza Lima Uchôa – Vogal
  • Silvio de Souza Gagliardi – Vogal

CONSELHO FISCAL

  • Antonio Luiz Sant ´Anna – Efetivo
  • Fernando Moura Botti – Efetivo
  • Marcos Antonio Mutton Jr. – Efetivo
  • Carlos Eduardo Prudente Correa Jr. – Suplente
  • Charles Alecsander Teixeira- Suplente
  • Osmar Nunes Ferraz – Suplente

DIRETORIA EXECUTIVA

  • Siguetoci Matusita – Diretor-presidente executivo
  • Adriano Avanço – Diretor administrativo
  • Juarez Mendes dos Reis – Diretor de Riscos e Compliance
  • Luiz Cláudio Avi – Diretor de Operações de Crédito
  • Marcelo Antônio Soares – Diretor Comercial
  • Marcelo Martins – Diretor de Tecnologia
  • Sérgio Marton – Diretor financeiro

VISÃO

Ser a excelência no atendimento, com sustentabilidade

MISSÃO

Atender aos objetivos financeiros dos cooperados com qualidade, agilidade e melhor gestão dos recursos, participando do desenvolvimento da comunidade.

VALORES CORPORATIVOS

Constituem-se na base ética da Sicoob Credicitrus, em seu relacionamento com os públicos interno e externo: dignidade, cooperação, participação, profissionalismo, inovação, solidez e responsabilidade social.
  • Acima de tudo, o ser humano – O ser humano sempre em primeiro lugar em todos os projetos e ações da Cooperativa. Mais do que um princípio filosófico, essa é uma regra de conduta que a Credicitrus aplica no relacionamento com cooperados, funcionários, fornecedores e parceiros.

    Interesses e capacidades são um modelo de negócio que proporcionam operações mais eficientes, atendendo às reais necessidades e expectativas dos cooperados, com custos mais baixos e melhores resultados para todos.

  • A união de esforços, interesses e capacidades é um modelo de negócio que proporciona operações mais eficientes, com foco dirigido às reais necessidades e expectativas dos cooperados, custos mais baixos e melhores resultados para todos.
  • Cooperado fiel e presente fortalece a Cooperativa – De um lado, cliente. De outro, proprietário. Com essa dupla perspectiva, o cooperado contribui para enriquecer as decisões e a gestão da Cooperativa e tornar mais efetiva a preservação de seu patrimônio e a oferta de produtos e serviços adequados aos seus interesses.
  • Conhecimento, dedicação e eficiência – Presente na gestão, nos processos e nas operações, em todos os níveis, o profissionalismo é indispensável para que a expansão da Credicitrus resulte em qualidade crescente para todos que dela dependam, interna ou externamente.
  • Firme no presente com os olhos no futuro – A busca de novas soluções e de melhorias contínuas, sempre tendo como alvos o benefício do cooperado e o fortalecimento da Cooperativa tem sido uma das características mais marcantes da permanente evolução da Credicitrus.
  • Base forte garante crescimento contínuo – Resultado de cuidadoso planejamento e práticas alicerçadas em regras operacionais rígidas, a solidez é a base essencial para a Cooperativa enfrentar dificuldades, vencer desafios e prosseguir em expansão, fortalecendo continuamente a confiança do cooperado.
  • Cooperativismo promove desenvolvimento humano – O cooperativismo de crédito proporciona benefícios diretos e indiretos para todos: o cooperado, sua família, seus empregados e a comunidade em que vive. Gera empregos, renda e progresso, e contribui para a distribuição das riquezas geradas nas localidades em que está presente.

VISÃO

Ser a excelência no atendimento, com sustentabilidade

MISSÃO

Atender aos objetivos financeiros dos cooperados com qualidade, agilidade e melhor gestão dos recursos, participando do desenvolvimento da comunidade.

VALORES CORPORATIVOS

Constituem-se na base ética da Sicoob Credicitrus, em seu relacionamento com os públicos interno e externo: dignidade, cooperação, participação, profissionalismo, inovação, solidez e responsabilidade social.

Nossa História

A Sicoob Credicitrus foi fundada em 14 de setembro de 1983 por 24 produtores rurais de Bebedouro e Monte Azul Paulista, sob a liderança de Walter Ribeiro Porto e Leopoldo Pinto Uchôa. Foi constituída com o objetivo inicial de atuar como braço financeiro da Coopercitrus – Cooperativa dos Cafeicultores e Citricultores de São Paulo, originada há sete anos e que já era uma das maiores e mais fortes cooperativas agropecuárias do Brasil. Walter Ribeiro Porto, que presidia a Coopercitrus, foi o primeiro presidente da nova cooperativa, cargo em que permaneceu até outubro de 2000, quando faleceu. Foi sucedido por Leopoldo Pinto Uchôa, que, desde a fundação era o principal executivo da Sicoob Credicitrus, como diretor de Crédito Rural e, depois, vice-presidente, e que permaneceu na presidência até seu falecimento, em abril de 2008. Seu sucessor e atual presidente do Conselho de Administração é Raul Huss de Almeida.   A primeira denominação da Sicoob Credicitrus foi Cooperativa de Crédito Rural de Bebedouro, substituída cerca de um ano depois por Cooperativa de Crédito Rural Coopercitrus, com a sigla Credicitrus. Em 2010, passou a adotar a denominação Cooperativa de Crédito Credicitrus, quando foi autorizada pelo Banco Central a admitir como associados, além dos produtores rurais, outros segmentos de pessoas físicas e jurídicas como: engenheiros agrônomos, veterinários e zootécnicos; médicos e demais profissionais da saúde; e micro e pequenas empresas. A partir dessa mudança, adotou oficialmente a sigla Sicoob Credicitrus, denotando sua vinculação ao Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil. Em 2015, a cooperativa passou a ser de livre admissão, permitindo a associação de pessoas físicas e jurídicas, independentemente de seu grupo profissional.

Nossa História

1983

A Sicoob Credicitrus foi fundada em 14.09.1983 por 24 produtores rurais de Bebedouro e Monte Azul Paulista, sob a liderança de Walter Ribeiro Porto e Leopoldo Pinto Uchôa. Foi constituída com o objetivo inicial de atuar como braço financeiro da Coopercitrus, originada há sete anos e que já era uma das maiores e mais fortes cooperativas agropecuárias do Brasil. Walter Ribeiro Porto foi o primeiro presidente da nova cooperativa, cargo em que permaneceu até outubro de 2000, quando faleceu.

2000

Leopoldo Pinto Uchôa, que, desde a fundação era o principal executivo da Sicoob Credicitrus, como diretor de Crédito Rural e, depois, vice-presidente, foi o substituto de Walter Ribeiro Porto na presidência da Sicoob Credicitrus, cargo que ocupou até seu falecimento, em abril de 2008.

2008

O sucessor de Leopoldo Pinto Uchôa e atual presidente do Conselho de Administração é Raul Huss de Almeida.

2010

A Cooperativa passou a adotar a denominação Cooperativa de Crédito Credicitrus, quando foi autorizada pelo Banco Central a admitir como associados, além dos produtores rurais, outros segmentos de pessoas físicas e jurídicas como: engenheiros agrônomos, veterinários e zootécnicos; médicos e demais profissionais da saúde; e micro e pequenas empresas. A partir dessa mudança, adotou oficialmente a sigla Sicoob Credicitrus, denotando sua vinculação ao Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil.

2015

A Sicoob Credicitrus passou a ser uma cooperativa de livre admissão, permitindo a associação de pessoas físicas e jurídicas, independentemente de seu grupo profissional.

MODELO DE NEGÓCIOS VENCEDOR

INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS TRADICIONAIS X COOPERATIVAS

  • A instituição financeira tradicional pertence a um pequeno número de sócios, que buscam o máximo lucro sobre o capital investido. O lucro vem dos juros, tarifas e encargos que incidem sobre as operações e movimentações dos clientes.
  • No modelo tradicional, os clientes não têm poder de decisão sobre a atuação da instituição: apenas utilizam seus produtos e serviços e pagam o preço fixado.
  • Nas cooperativas financeiras, a relação é diferente. O associado é, ao mesmo tempo, cliente e coproprietário e obtém vantagens nas duas condições.
  • Como coproprietário, adquire um certo número de cotas de capital ao ingressar na cooperativa, e pode adquirir ou incorporar novas cotas ao longo do tempo.
  • Com suas cotas, fortalece a organização que lhe pertence de forma compartilhada com os demais cooperados e cria uma reserva financeira, corrigida e valorizada todos os anos, que poderá resgatar no futuro.
  • Como a cooperativa não tem fins lucrativos, os custos de todas as operações que realiza são inferiores aos de mercado.
  • Essa diferença explica o crescente sucesso do modelo cooperativista no mundo.

A FORÇA DO SISTEMA NO BRASIL

  • 1.100 cooperativas de crédito em todo o Brasil
  • 6 sistemas: Sicoob (o maior, com 491 cooperativas singulares, 16 centrais e 3,4 milhões de associados), Sicredi, Unicred, Cecred, Confesol e Uniprime.
  • Em conjunto, representam a sexta maior instituição financeira do mercado – atrás de Banco do Brasil, Itaú, Caixa Econômica Federal, Bradesco e Santander.
  • R$ 2,4 bilhões em operações de crédito em 2016

Instituição financeira tradicional

A instituição financeira tradicional pertence a um pequeno número de sócios, que buscam o máximo lucro sobre o capital investido. O lucro vem dos juros, tarifas e encargos que incidem sobre as operações e movimentações dos clientes.

Poder de decisão

No modelo tradicional, os clientes não têm poder de decisão sobre a atuação da instituição: apenas utilizam seus produtos e serviços e pagam o preço fixado. Nas cooperativas financeiras, a relação é diferente. O associado é, ao mesmo tempo, cliente e coproprietário e obtém vantagens nas duas condições.

Cotas

Como coproprietário, adquire um certo número de cotas de capital ao ingressar na cooperativa, e pode adquirir ou incorporar novas cotas ao longo do tempo. Com suas cotas, fortalece a organização que lhe pertence de forma compartilhada com os demais cooperados e cria uma reserva financeira, corrigida e valorizada todos os anos, que poderá resgatar no futuro.

Custos das operações

Como a cooperativa não tem fins lucrativos, os custos de todas as operações que realiza são inferiores aos de mercado.

A FORÇA DO SISTEMA NO BRASIL

  • 1.100 cooperativas de crédito em todo o Brasil;
  • 6 sistemas: Sicoob (o maior, com 491 cooperativas singulares, 16 centrais e 3,4 milhões de associados), Sicredi, Unicred, Cecred, Confesol e Uniprime;
  • Em conjunto, representam a sexta maior instituição financeira do mercado – atrás de Banco do Brasil, Itaú, Caixa Econômica Federal, Bradesco e Santander;
  • R$ 2,4 bilhões em operações de crédito em 2016.